Freud e Moisés: um contexto social

Autores

  • Marcel Henrique Rodrigues

Resumo

A presente obra é um importante trabalho que visa à apresentação do ambiente judaico em que a Psicanálise se desenvolveu graças aos estudos e as pesquisas de Sigmund Freud, o pai da Psicanálise. Bernstein procura fazer uma leitura do ambiente judaico em que Freud nasceu e que permaneceu durante toda a sua vida, mesmo com o seu declarado ateísmo. Muito além de refletir sobre os aspectos biográficos de Freud, que é considerado um dos maiores nomes do início do século XX, o autor visa constituir uma base sociológica sobre a qual foi construído o movimento psicanalítico. No início o autor faz uma análise do interesse de Freud pelas religiões, sobretudo o Judaísmo, religião esta que pertencia toda a sua família e seus amigos mais íntimos. O interesse de Freud por tal religião é constatado pela última obra escrita e finalizada por Freud que foi “Moisés e o Monoteísmo” publicada meses antes de sua morte em 1939. Essa obra vem a ser a base dos escritos de Bernstein que tem como base o ambiente judaico em que se desenvolveu a Psicanálise. Sendo assim, uma releitura do livro “Moisés e o Monoteísmo” é necessária para obter-se um paralelo entre a teoria do último livro de Freud, com o contexto psicanalítico.

Downloads

Publicado

2015-07-15

Edição

Seção

Artigos