A banalização do uso de ansiolíticos e antidepressivos

Autores

  • Filipe Barbosa Margarido

Resumo

Este artigo apresenta uma observação crítica sobre a banalização do uso de antidepressivos e ansiolíticos, assim como os riscos e necessidades da supressão química do sofrimento que ocorre na atual sociedade normativa usuária dos avanços psicofarmacológicos, a qual propicia o aparecimento de pílulas da felicidade, pílulas da inteligência, pílulas da obediência, entre outras. Para isso, realizou-se um diálogo com a psiquiatria, que é um dos fundamentos da causa medicamentosa. Observa-se nesse contexto a ação da indústria farmacêutica, do marketing e dos locais em que ocorre a medicalização generalizada, descobrindo-se o processo de patologização do indivíduo e da sociedade, a natureza política por trás dos transtornos mentais, e a questão da validade do diagnóstico em psiquiatria.

Downloads

Publicado

2015-07-15

Edição

Seção

Artigos