Ocorrência dos Sinais e Sintomas de DORT na Equipe de Enfermagem

Autores

  • Giselle Cristina Andrade Pereira Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.
  • Adriane Ferreira Rocha Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.
  • Josiane Márcia de Castro Faculdade Pitágoras Ipatinga. MG, Brasil.
  • Hosana Nolasco dos Santos Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.
  • Rosineide Vieira Góis Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.
  • Gulnara Patrícia Borja-Cabrera Universidade Vale do Rio Doce, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Gestão Integrada do Território. MG, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-9524.2018v9n1p5-13

Resumo

A equipe de enfermagem está entre as principais categorias profissionais que mais são acometidas com os sinais e sintomas de LER/DORT. Os principais fatores que contribuem para este quadro são o trabalho manual e repetitivo, sobrecarga de atividades, posturas inadequadas e dupla jornada de trabalho. O presente trabalho tem como objetivo identificar a ocorrência de sinais e sintomas, principais queixas, regiões do corpo mais afetadas e identificar as atividades profissionais comprometidas pela DORT, na equipe de enfermagem, do Hospital Municipal de Ji-Paraná/RO. Trata-se de pesquisa de abordagem quantitativa, de caráter exploratório e descritivo e corte transversal. A amostra foi do tipo não probabilística aleatória, constituída por 20 profissionais, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares. Foram excluídos aqueles que se encontravam de férias, licença maternidade, licença médica ou qualquer outro tipo de afastamento do trabalho. A coleta dos dados ocorreu nos meses de junho e julho de 2012, por meio de um questionário com questões fechadas e abertas, sendo tabulados no Microsoft Excel® e analisados por estatística descritiva. Constatou-se que 95% dos profissionais eram do sexo feminino com média de idade de 41,4 anos. No que diz respeito ao tempo de serviço e a ocorrência do sintoma de dor associado a outros sintomas, o maior percentual ocorre no período 2 a 5 anos. A maior parte dos casos acomete trabalhadores da obstetrícia, pediatria e geriatria. O diagnóstico de DORT está presente em 6 (30%) dos trabalhadores. A região do corpo mais afetada é a dos membros superiores, prevalecendo os sintomas de dor e fadiga. Conclui-se que os profissionais de enfermagem estão vulneráveis ao aparecimento de LER/DORT mediante os sintomas apresentados. É necessária a adoção de medidas efetivas de prevenção, como ginástica laboral e maior fiscalização de atividades, a fim de diminuir a incidência  e agravo dos sinais e sintomas. Desta forma, pode-se promover melhoria na qualidade de vida da equipe de enfermagem.

Palavras-chave: Saúde Ocupacional. Dor Osteomuscular. Equipe de Enfermagem.

Abstract

The nursing team is among the main professional categories that are most affected with the signs and symptoms of RSI / DUS. The main factors that contribute to this picture are manual and repetitive work, overload of activities, inadequate postures and double working hours. The present study aims to identify the occurrence of signs and symptoms, main complaints, most affected regions of the body and to identify the professional activities committed by DORT in the nursing team of the Municipal Hospital of Ji-Paraná / RO. It is a Quantitative, exploratory,descriptive and cross-section research. The sample was non probabilistic random type, consisting of 20 professionals, among nurses, technicians and auxiliaries. Those who were on vacation, maternity leave, medical leave or any other type of work leave were excluded. Data were collected in June and July 2012, using a closed and open questionnaire, tabulated in Microsoft Excel® and analyzed by descriptive statistics. It was found that 95% was female with mean age 41.4 years. Regarding length of service and the occurrence of the pain symptom associated with other symptoms, the highest percentage occurs in the period of 2 to 5 years. Most cases affect obstetrics, pediatrics and geriatrics workers. The diagnosis of DORT is present in 6 (30%) of the workers. The most affected region of the body were the upper limbs, with symptoms of prevailing pain and fatigue. It is concluded that nursing professionals are vulnerable to the emergence of RSI / DORT through the presented symptoms. It is necessary to adopt effective preventive measures, such as work gymnastics and greater supervision of activities in order to reduce the incidence and worsening of signs and symptoms. Therefore, the quality of life of the nursing team can be improved.

Keywords: Occupational Health. Musculoskeletal Pain. Nursing Team.

Biografia do Autor

Giselle Cristina Andrade Pereira, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.

1Enfermeira. Especialista em Enfermagem do Trabalho, Gestão Ambiental. 
Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade. Docente do Centro Universitário Luterano de Ji-paraná CEUJI/ULBRA

Adriane Ferreira Rocha, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.

2Acadêmica do curso de enfermagem do Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná CEULJI/ULBRA

Josiane Márcia de Castro, Faculdade Pitágoras Ipatinga. MG, Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2000), especialização em Saúde da Família pela Universidade Federal de Minas Gerais e Docência em Ensino Superior pela Faculdade de Medicina do Triangulo Mineiro (2003). Possui experiencia profissional na área de Enfermagem Hospitalar e Saúde Publica.Atualmente é professora da Faculdades Pitágoras Ipatinga.Discente do Mestrado em Gestão Integrado do Território, pela Universidade Vale do Rio Doce, já submetida a qualificação.

 

Hosana Nolasco dos Santos, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.

Docente Centro Universitário Luterano de Ji-paraná CEUJI/ULBRA.

Rosineide Vieira Góis, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná. RO, Brasil.

Docente Centro Universitário Luterano de Ji-paraná CEUJI/ULBRA

Gulnara Patrícia Borja-Cabrera, Universidade Vale do Rio Doce, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Gestão Integrada do Território. MG, Brasil.

Medica.Doutora em patologia. Docente do Programa do mestrado em Gestão Integrada do Território/ Universidade Vale do rio Doce- MG.

Referências

De Alencar Pandolphi, João Luiz, and Emily de Fátima Lima

Vasconcelos. Gestão de um programa de prevenção das

LER/DORT em uma rede de supermercados: um relato de

experiência. Blucher Eng Proc 2016; 3:953-8.

Nascimento, LK, Costa AJF, Dias BL, Barbosa FK.

Importância de um programa de exercícios na prevenção de

LER/DORT. UNILUS Ensino Pesq 2016;13(30):223.

Fernandes MG, Pereira LCD, Augusto ECV, Teixeira GM A

realidade virtual como novo instrumento para prevenção de

sintomas osteomusculares e estresse ocupacional: um estudo

piloto. Blucher Eng Proc 2016:253-63.

Manhanini, TV, Silva SLC, Martins MF. Fatores

predisponentes ao aparecimento de DORT em costureiras. Rev

Cient Faminas 2016; 8.1

Oliveira SCF, Lucena NMG, Gutiérrez MCV, Furtado PLA,

Rios EL, Moleón JJJ. Fisioterapia laboral na formação

ergonômica e consciência postural de trabalhadores

administrativos de uma instituição de ensino superior. Blucher

Eng Proc 2016;3:772-81.

Oliveira KP, Martins MF, Costa JA. Prevenção de dores

osteomusculares em eletricistas: uma análise ergonômica. Rev

Cient Faminas 2016; 6.2.

Alves JHF. Método para prescrição de exercícios terapêuticos

no trabalho. Fisioter Bras 1.1 2016.

De Vasconcelos TB, Cardoso ARNR, Carneiro FR, Diniz MF,

Montenegro CM, Nogueria ANC, et al. Análise ergonômica

e postural dos citologistas de um hospital na cidade de

Fortaleza (CE). Saúde Pesq 2016:333-41.

Hamann LL, Caino MRTM. Doenças Osteomusculares

Relacionadas ao Trabalho (DORT): um estudo de caso. Discip

Sci Saúde 2016:61-75.

Hamann LL, Marchiori MRCT. Doenças Osteomusculares

Relacionadas ao Trabalho (DORT): um estudo de

caso. Disciplinarum Scie Saúde 2016:61-75.

Pedrosa IO, Araujo WP, Brasileiro ME. A atuação do

enfermeiro do trabalho na prevenção de riscos ergonômicos.

Recien 2016; 18:3-11.

Moraes MAA, Maria RM. Quem está habilitado à prática da

ginástica laboral o fisioterapeuta e/ou educador físico. Rev

Saúde Meio Amb 2016:16-24.

Almeida IM, Jackson Filho, JM Acidentes e sua prevenção.Rev Bras Saúde Ocup 2007 (115): 7-18.

Barboza MCN, Milbrath VM, Bielemann VM, Siqueira HCH.

Doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho (DORT) e

sua associação com a enfermagem ocupacional. Rev Gaúcha

Enferm 2008; 29 (4): 633-8.

Brasil. Ministério da Saúde. Protocolo de investigação,

diagnóstico, tratamento e prevenção de LER/DORT. Brasília:

MS; 2000.

Brasil. Ministério da Saúde. Diagnóstico, tratamento,

reabilitação, prevenção e fisiopatologia das LER/ DORT.

Brasília: MS;, 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Lesões por Esforços Repetitivos

(LER) Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho

(DORT) série A. Normas e Manuais Técnicos, n.103. Brasília:

MS; 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde.

Departamento de Atenção Básica. Área Técnica de Saúde do

Trabalhador. Brasilia: MS; 2002.

Brasil. Ministério da Previdência Social e do Trabalho

e Emprego. AEAT- Anuário Estatístico de Acidentes do

Trabalho: 2007. Brasília: MTE: MPS, 2008

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde

– DATASUS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de

Saúde. Brasília: MS; 2012. .

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego. Normas

regulamentadoras. Brasília: MS; 2002. .

Brasil. Seção de Segurança e Saúde do Trabalhador. LER/

DORT: Programa de Prevenção, 2006.

Brasil. Lei no 6514, de 22 de dezembro de 1977; normas

regulamentadoras (NR) aprovadas pela portaria n.3214, de 08 de junho de 1978; índices remissivos. São Paulo: Atlas; 2009.

Castilho CRN, Silva JO. A relação do processo de trabalho

de enfermagem com o adoecimento dos profissionais: uma

pesquisa bibliográfica. Porto Alegre: UFRG; 2010.

Chiavegato Filho LG, Pereira Junior A. LER/DORT:

multifatorialidade etiológica e modelos explicativos.

Interface 2004; 8 (14): 149-62.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Caderno de

Legislação. Documentos Básicos. Rio de Janeiro: COFEN;

Costa EDGMM, Arias AJ, Oliveira SM, Nichols OC

Prevalência de síndromes dolorosas osteomusculares em

trabalhadores de Unidades Básicas de Saúde (UBS). Einstein

; 5 (1): 37-43.

Deliberato PCP. Fisioterapia preventiva: fundamentos e

aplicações. Barueri: Manole; 2002.

Ferreira VMV, Shimano SGN, Fonseca MCR. Fisioterapia na

avaliação e prevenção de riscos ergonômicos em trabalhadores

de um setor financeiro. Fisioter Pesq 2009; 16 (3): 239-45.

Freitas JRS, Lunardi Filho WD, Lunardi VL, Freitas KSS.

Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em

profissionais de enfermagem de um hospital universitário.

Rev Eletr Enf 2009;11(4):904-11.

Gonçalves JRS, Melo EP, Lombas SRL, Mariano CS, Barbosa

L, Chillida MSP. Causas de afastamento entre trabalhadores

de enfermagem de um hospital público do interior de São

Paulo. Rev Mineira Enferm 2005; 9 (4): 309-14.

Guimaraes BM, Martins LB, Azevedo LS, Andrade MA.

Análise da carga de trabalho de analistas de sistemas e dos

distúrbios osteomusculares. Fisioter Mov 2011; 24 (1): 115-

Downloads

Publicado

2018-07-31

Edição

Seção

Artigos