Reflexos e refrações da alteridade na literatura brasileira traduzida (2): variáveis e invariantes

Autores

  • Francis Henrik Aubert
  • Adriana Zavaglia

Resumo

Com base em três trechos retirados de Sagarana, de Guimarães Rosa, e de Macunaíma, de Mário de Andrade, e suas respectivas traduções para o francês, o inglês, o italiano e o norueguês, este estudo observa a tradução de textos literários culturalmente marcados, enfatizando a correlação entre a ocorrência de determinadas modalidades de tradução (AUBERT, 1998) e as operações de linguagem (CULIOLI, 2000), conforme marcadas pelas unidades lingüísticas. A despeito das distâncias lingüísticas e culturais, identificase um mecanismo regular e estável que confirma ser a tradução uma operação parafrástica intertextual, exigindo diferentes estratégias no nível das línguas naturais em questão e, ao mesmo tempo, assegurando a equivalência tradutória por meio de um procedimento regulatório no nível da linguagem.

Downloads

Publicado

2015-07-10

Edição

Seção

Artigos