Tratamentos Pré-Germinativos na Emergência e Desenvolvimento Inicial de Plântulas de Graviola

Autores

  • Marcus Vinicius Sandoval Paixão Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, Campus Santa Teresa, ES, Brasil.
  • Andrieli Ferrari Mônico Instituto Federal do Espírito Santo, Campus Santa Teresa, ES, Brasil.
  • Rafaela Barreto Cazaroto Grobério Instituto Federal do Espírito Santo, Campus Santa Teresa, ES, Brasil.
  • Gustavo Miranda Cremonini Instituto Federal do Espírito Santo, Campus Santa Teresa, ES, Brasil.
  • Hélio Pena de Faria Junior Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo Campus Santa Teresa, ES, Brasil.
  • Almy Junior Carvalho de Cordeiro Universidade Estadual Norte Fluminense. RJ, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6938.2021v25n1p72-76

Resumo

A graviola, Annona muricata L., produz sementes que podem apresentar dormência ocasionada pela impermeabilidade do tegumento à água, necessitando assim de métodos para superação desta. Objetivou-se avaliar o efeito de tratamentos pré-germinativos na emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de graviola. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso, com 13 tratamentos e quatro repetições, sendo cada unidade experimental composta de 50 sementes. As sementes foram submetidas aos tratamentos com imersão por 30 minutos, os quais foram: água (26 °C testemunha), solução de giberelina a 1.000, 2.000, 3.000 e 4.000 mg.L-1, água com gelo em ponto de fusão (0 °C), congelador por 6 horas (-10 °C), geladeira por 24 horas (10 °C), água em ponto de ebulição (100 °C), solução de NaCl 9 g.L-1, solução de KCl 5 g.L-1, água de coco e suco de laranja. A semeadura ocorreu em tubetes 280 mL contendo substrato composto por solo+eterco bovino. Trinta dias após a semeadura (DAS) avaliou-se a porcentagem, índice de velocidade e tempo médio de emergência das plântulas. Sessenta dias após a semeadura foram avaliados: número de folhas; altura da planta; diâmetro do coleto; comprimento da raiz; massa verde foliar; massa seca foliar; massa verde e massa seca da raiz. O tratamento com giberelina de 4.000 mg.L-1 de GA3 foi o tratamento mais eficiente para induzir a emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de graviola.

 

Palavras-chave: Annona muricata. Giberelina. Propagação.

 

Abstract

Soursop, Annona muricata L., produces seeds that may present dormancy caused by the impermeability of the integument to water, thus requiring methods to overcome it. The objective was to evaluate the effect of pre-germinative treatments on the emergence and initial development of soursop seedlings. The experimental design used was in randomized blocks, with 13 treatments and four replications, each experimental unit consisting of 50 seeds. The seeds were submitted to immersion treatments for 30 minutes, which were: water (26°C control), 1.000 gibberellin solution, 2.000, 3.000 e 4.000 mg.L-1, water with ice at melting point (0 °C), freezer for 6 hours (-10 °C), refrigerator for 24 hours (10 °C), boiling water (100°C), NaCl 9 g.L-1 solution, KCl 5 g.L-1 solution, coconut water and orange juice. Sowing took place in 280 mL tubes containing substrate composed of soil + bovine manure. Thirty days after sowing (DAS), the percentage, speed index and mean seedling emergence time were evaluated. Sixty days after sowing the following items were evaluated: number of leaves; plant height; collar diameter; root length; leaf green mass; leaf dry mass; green mass and dry mass of the root. The treatment with gibberellin of 4.000 mg.L-1 of GA3 was the most efficient treatment to induce the emergence and initial development of soursop seedlings.

 

Keywords: Annona muricate. Gibberellin.  Propagation.

Downloads

Publicado

2021-03-29

Edição

Seção

Artigos