Fatores Psicossociais que Interferem na Qualidade de Vida de Adolescentes Gestantes em Joinville-SC

Autores

  • Luana Maris Borri Universidade da Região de Joinville.
  • Lúcia Hilda Machado Universidade da Região de Joinville.
  • Ana Letícia de Giuli Universidade da Região de Joinville.
  • Carolina Oliveira Zerbinatti Universidade da Região de Joinville.
  • Flavia Kroehnke Universidade da Região de Joinville.
  • Juliana Corrêa Universidade da Região de Joinville.
  • Maikon de Sousa Michels Universidade da Região de Joinville.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5626.n17p62-70

Resumo

O presente estudo visa investigar os fatores psicossociais potencialmente prejudiciais, que interferem na qualidade de vida de adolescentes gestantes, que residem na cidade de Joinville (SC) através de uma pesquisa de campo de abordagem qualitativa. A coleta de dados ocorreu por meio de uma entrevista semiestruturada com três gestantes com idades entre 10 e 19 anos, sendo que a análise foi realizada a partir da Análise de Conteúdo de Bardin, considerando o referencial teórico da Psicologia Social. Para abarcar a questão da gravidez de adolescentes e os fatores psicossociais, que interferem na sua qualidade de vida, as reflexões propostas foram organizadas pelas seguintes subcategorias: família, âmbito escolar, relacionamento, questões financeiras, fatores psicossociais positivos e negativos, mudanças, preconceito e planos futuros. Sendo assim, apesar de se buscar os aspectos comuns nas gestantes, percebeu-se justamente que cada adolescente e sua família recebem e lidam de maneiras diferentes com a gestação, levantando justamente a importância de não definir fatores determinantes ou generalizados sobre as gestações, visando sempre respeitar a singularidade de cada pessoa. De modo geral, a partir dos resultados da pesquisa foi possível confirmar a hipótese de que a maternidade impacta, diretamente, no futuro destas adolescentes, visto que interfere nos estudos, nas possibilidades de se conseguir um bom trabalho, uma moradia digna e uma estabilidade econômica, gerando uma (in) sustentabilidade, pois as mesmas repetem situação de vulnerabilidade, como condições econômicas reduzidas e prejuízos em relação ao âmbito escolar dos filhos.

 Palavras-chave: Adolescência. Qualidade de Vida. Fatores Psicossociais. Gravidez. Psicologia Social.

Abstract

The present study aims to investigate the potentially harmful psychosocial factors that interfere with the quality of life of pregnant teenagers who reside in the city of Joinville (SC), through a field research of a qualitative approach. Data collection took place by means of a structured interview with three pregnant women aged 10 to 19 years, being that the analysis was performed based on the analysis of the content of Bardin, considering the Social Psychology theoretical framework. To encompass the issue of adolescent pregnancy and psychosocial factors that interfere in their quality of life, the proposed reflections have been organized by the following subcategories: Family, scholastic, relationship, financial issues, psychosocial factors both positive and negative, changes, prejudice and future plans. Thus, although the common aspects in pregnant women were sought, it was realized that each adolescent and herfamily receive and deal in different ways with the pregnancy, raising precisely the importance of not defining factors or generalized about the pregnancy, always aiming at respecting the uniqueness of each person. Generally, from the search results it was possible to confirm the hypothesis that the motherhood directly impacts on the future of these adolescents, since it interferes in the studies, the possibilities of getting a good job, a decent housing and economic stability, generating an (un)sustainability, because the same repeat situation of vulnerability, such as reduced economic conditions and losses in relation to the scope of school children.

 Keywords: Adolescence. Quality of Life. Psychosocial Factors. Pregnancy. Social Psychology.

Referências

ABECHE, A. M. Avaliação da percepção de qualidade de vida em puérperas adolescentes no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

BAIÃO, M.R; DESLANDES, S.F. Gravidez e comportamento alimentar em gestantes de uma comunidade urbana de baixa renda no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, v.24, n.11, p.2633-2642, 2008.

BARKER, S.L.; CASTRO, D.M.F. Gravidez na adolescência: dando sentido ao acontecimento. In: CONTINI, M.L.J.; KOLLER, S.H.; BARROS, M.N.S. Adolescência & psicologia: concepções, práticas e reflexões críticas, 2002. p.78-84.

CÂMARA, R.H. Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais Rev. Int. Psicol., v.6, n.2, p.179-191, 2013.

CRUSOÉ, N.M.C. A teoria das representações sociais em Moscovici sua importância para a pesquisa em educação. Aprender Cad. Filosofia Piscol. Educ., v.2, n.2, p.105-114, 2004.

DADOORIAN, D. Gravidez na adolescência: um novo olhar. Psicol. Cienc. Prof., v.23, n.1, p.84-91, 2003 .

EISENSTEIN, E. Adolescência: definições, conceitos e critérios. Adolesc. Saúde, v.2, n.2, p.6, 2005.

FERREIRA, E.C.B. et al. A educação em saúde como estratégia na prevenção da gravidez na adolescência. Um estudo de caso em Formoso do Araguaia (TO). Rev. UFG, v. 6, n. esp., 2004

FERREIRA, R.A. et al. Análise espacial da vulnerabilidade social da gravidez na adolescência. Cad. Saúde Pública, v.28, n.2, p.313-323, 2012. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000200010

FRIZZO, G.B.; KAHL, M.L.F.; OLIVEIRA, E.A.F. Aspectos psicológicos da gravidez na adolescência. PSICO, v.36, n.1, p.13-20, 2005.

GODINHO, R.A. et al. Adolescentes grávidas: onde buscam apoio? Rev. Latinoam. Enferm., v.8, n.2 , p. 25-32, 2000.

GONÇALVES, A. Em busca do diálogo do controle social sobre o estilo de vida. In: VILARTA, R. Qualidade de vida e políticas públicas: saúde, lazer e atividade física. Campinas: IPES, 2004, p. 17-26.

HEILBORN, M.L. et al. Aproximações socioantropológicas sobre a gravidez na adolescência. Horiz. Antropol., v.8, n.17, p.13-45, 2002 .

LANE, S.T.M. O que é psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 2006.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Petrópolis: Vozes, 2001.

LIMA, L.N.; SCHULZE, M.D. Adolescência e gravidez: implicações no percurso educacional de jovens mães. Rev. Adol. Confl., n.16, p.10-16, 2017.

MOREIRA, M.C.; SARRIERA, J.C. Satisfação e composição da rede de apoio social a gestantes adolescentes. Psicol. Estudo, v.13, n.4, p.781-789, 2008

MALDONADO, M.T.P. Psicologia da gravidez: parto e puerpério. Petrópolis: Vozes, 1989.

OLIVEIRA-MONTEIRO, N.R. et al. Gravidez e maternidade de adolescentes: fatores de risco e de proteção. Rev. Bras. Cresc. Desenvol. Hum., v.21, n.2, p.198, 209, 2011.

OLIVEIRA, N.R.. Maternidade de adolescentes de periferias sociais e urbanas: algumas análises à luz da psicologia ambiental. Rev. Bras. Crescim. Desenvol. Hum., v.15, n.1, p.69-77, 2005.

PRATTA, E.M.M.; SANTOS, M.A. Família e adolescência: a influência do contexto familiar no desenvolvimento psicológico de seus membros. Psicol. Estud., v.12, n.2, p.247-256, 2007.

RODRIGUES, R.M. Gravidez na adolescência. Nascer e Crescer, v.19, n.3, p.201, 2010.

SILVA, E.L.C. et al. Gravidez e dinâmica familiar na perspectiva de adolescentes. Acad. Paul. Psicol., v.34, n.86, p.118-138, 2014.

SOUZA, R.A.; CARVALHO, A.M. Programa de Saúde da Família e qualidade de vida: um olhar da Psicologia. Estud. Psicol., 2003.

VALILA, M.G. et al. Gravidez na adolescência: conhecendo a experiência da família. Rev. Min. Enferm, 2011.

XIMENES NETO, F.R.G. et al. Gravidez na adolescência: motivos e percepções de adolescentes. Rev. Bras. Enferm., v.60, n.3, p.279-285, 2007.

YAZLLE, M.E.H.D. Gravidez na adolescência. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., v.28 n.8, 2006.

Downloads

Publicado

2018-08-09

Edição

Seção

Artigos